MotoGP Qatar – Viñales abre o ano com vitória e Miguel Oliveira sofre mas termina em 13º

A primeira corrida de MotoGP da temporada 2021 cumpriu com o esperado e proporcionou um enorme espetáculo. O espanhol Maverick Viñales e a Monster Energy Yamaha contrariam as favoritas Ducati, num dia em que Miguel Oliveira realiza uma corrida de altos e baixos que termina na 13ª posição.

A espera, a longa espera desde o último Grande Prémio de 2020, terminou hoje com a realização daquela que foi a primeira das 19 corridas que fazem parte do calendário da temporada 2021 de MotoGP.

O circuito de Losail foi o cenário para o Grande Prémio do Qatar, sendo que as condições atmosféricas bastante diferentes dos dias anteriores obrigaram os pilotos e equipas técnicas a um esforço adicional nesta corrida de abertura de MotoGP.

Com vento muito intenso a trazer para o asfalto de Losail muita areia do deserto, e a temperatura ambiente a baixar até aos 21 graus Celsius, o asfalto do circuito tornou-se imprevísivel ao nível do desgaste dos pneus, mas todos os pilotos, sem exceção, optaram por arrancar para esta primeira corrida do ano com as suas motos equipadas com pneus slick de composto mole.

Francesco Bagnaia (Ducati Lenovo Team) aproveitou da melhor forma o facto de arrancar da “pole position” para se manter na frente do pelotão de 22 pilotos, que rapidamente ficou reduzido a 21 quando Danilo Petrucci (Tech3 KTM Factory) deu por encerrada a sua corrida ao sofrer uma queda logo nos momentos iniciais.


Numa primeira fase, as quatro primeiras posições da classificação estiveram ocupadas por quatro motos da Ducati, pois atrás de Bagnaia estavam Jack Miller (Ducati Lenovo Team), Johann Zarco e ainda o “rookie” Jorge Martin, ambos em Pramac Ducati, sendo que o jovem talento espanhol saltou da 14ª posição na grelha de partida para um fantástico 4º lugar! Infelizmente a inexperiência de Martin veio ao de cima, e ao longo da prova foi perdendo posições, ficando fora do “top 10”.

Com as motos da Ducati a mostrarem-se imbatíveis em velocidade na reta da meta de Losail, a dupla da Monster Energy Yamaha, liderada por Fabio Quartararo, mas com Maverick Viñales logo atrás, partiu no encalce dos quatro primeiros. Jorge Martin resistiu por pouco tempo aos ataques das Yamaha, e pouco depois, já quando estava em terceiro, foi a vez de Jack Miller ser ultrapassado pelas motos japonesas.

Quando tudo indicava que seria uma formação Yamaha a dar luta aos pilotos da frente, a verdade é que Quartararo começou a perder o ritmo, e depois de algumas voltas a atrasar o seu companheiro de equipa, Viñales atacou e a partir daí apresentou-se ao seu melhor nível, impondo um ritmo demolidor até alcançar primeiro Zarco, e depois Bagnaia.


O piloto da Yamaha tentava por todos os meios saltar para a frente da corrida de MotoGP, mas a potência das Ducati ia equilibrando a situação. Até que, a 8 voltas do fim, no “miolo” do circuito de Losail, Maverick Viñales fez a diferença numa travagem forte, passou para a liderança e arrancou decidido para uma vitória sem qualquer contestação, abrindo a temporada da melhor forma possível.

Atrás do espanhol da Yamaha a luta pelos lugares seguintes do pódio animou muito nas últimas cinco voltas.

Tudo porque o campeão em título, Joan Mir, voltou a demonstrar que a Suzuki Ecstar não é moto para fazer “pole position”, e apesar de arrancar de 10º, Mir paulatinamente foi subindo na classificação e colocou-se inclusivamente na frente de Zarco e Bagnaia na última volta.

Tudo parecia indicar que Joan Mir ia começar o ano com um segundo lugar, mas um pequeno erro na última curva, em que alargou a trajetória, permitiu que Bagnaia e Zarco formassem uma formação imbatível de Ducati, com as motos italianas a cruzarem a meta bem na frente de Mir. Zarco cruzou a meta em segundo, enquanto Francesco Bagnaia foi terceiro.


Quanto ao português Miguel Oliveira, o piloto da Red Bull KTM Factory sabia que tinha pela frente uma missão muito complicada neste circuito que claramente não é favorável às motos austríacas.

Se tanto nos treinos livres como depois na qualificação vimos Miguel Oliveira em dificuldades, a verdade é que a resiliência do português da KTM deu alguns frutos em situação de corrida. Arrancando de 15º, Miguel Oliveira ganhou algumas posições e chegou inclusivamente a rodar em 10º no último terço de prova.

Infelizmente para as aspirações do piloto luso, a parte final de corrida foi de sofrimento, e perdeu posições para Enea Bastianini (Avintia Ducati), Stefan Bradl (Repsol Honda) e ainda para Valentino Rossi (Petronas Yamaha SRT), terminando assim esta primeira corrida de MotoGP na 13ª posição, amealhando alguns pontos, mas que ficam claramente abaixo do necessário tendo em conta os objetivos traçados pelo próprio Miguel no início da temporada.


Quanto a destaques, e depois do brilharete inicial de Jorge Martin, temos ainda de realçar as prestações de Aleix Espargaró que levou a Aprilia Gresini até ao 7º lugar, comprovando em corrida a melhoria da moto de Noale, sendo que o seu irmão Pol Espargaró (Respol Honda) fez também uma corrida em recuperação e fechou a sua primeira corrida com a moto japonesa na 8ª posição.

Dentro de uma semana os pilotos de MotoGP voltam a enfrentar-se no circuito de Losail, naquele que será o primeiro Grande Prémio de Doha.

@ 29-3-2021 19:35:49


Mais