MotoGP 2021 GP Alemanha – Miguel Oliveira segundo atrás de Márquez no Sachsenring

Piloto português volta a fechar um fim de semana em MotoGP em 2021 com um segundo lugar. Miguel Oliveira muito consistente termina em segundo no Sachsenring e assegura 20 pontos que o posicionam muito bem no assalto às primeiras posições da classificação de MotoGP, num dia em que o oito vezes campeão do mundo Marc Márquez voltou ao topo do pódio.

Depois de um intenso jogo de “gato e rato”, em que o piloto português Miguel Oliveira (Red Bull KTM Factory) quase conseguia repetir a vitória do Grande Prémio da Catalunha depois de ser muito consistente ao longo das 30 voltas do Grande Prémio da Alemanha, a vitória nesta ronda da categoria rainha ficou mesmo na posse de Marc Márquez (Repsol Honda).

Se havia circuito no calendário 2021 do Mundial de Velocidade onde o oito vezes campeão do mundo sabia que podia vencer era aqui, no Sachsenring. O traçado alemão, o mais curto de todo o calendário, e com apenas três curvas para a direita e 11 para a esquerda, tem sido palco de vitórias incontestáveis de Márquez.

Porém o estado físico do espanhol não é ainda perfeito, pelo que existia sempre a dúvida se Márquez conseguiria levar até ao fim o seu esforço. E a realidade é que conseguir mesmo, mantendo-se a salvo da enorme pressão exercida pela excelente corrida de Miguel Oliveira.


Num momento inicial onde assistimos a muitas trocas de posição entre os primeiros, e onde Aleix Espargaró (Aprilia Gresini) assumiu então a liderança da prova alemã, o espanhol da Repsol Honda rapidamente decidiu atacar a liderança e tentar escapar na frente. À oitava volta a história da corrida passa então por um momento importante: a chuva, ou melhor, a ameaça de chuva.

Apesar de todo o calor que se tem feito sentir em Sachsenring ao longo do Grande Prémio da Alemanha, o céu bastante carregado de nuvens escuras começou a deixar cair algumas gotas de chuva. Com as bandeiras dos comissários a avisarem os pilotos da presença de piso escorregadio, e com a Direção de Corrida a permitir então a troca de motos para pneus de chuva, o grupo que batalhava pelas primeiras posições de MotoGP “assustou-se” um pouco e seguiram-se momentos de alguma confusão.

Nessa confusão Marc Márquez aproveitou para mostrar todo o seu talento e capacidade de aguentar a pressão, escapou na liderança ao aumentar ligeiramente o ritmo, e de imediato deixou os rivais todos para trás.


Enquanto isso o português Miguel Oliveira vinha a fazer uma corrida em recuperação, como é seu hábito. Envolvido em muitas trocas de posição, o vencedor do GP anterior contou com a eficácia da sua KTM RC16 para cravar uma série de voltas rápidas assim que ascendeu à segunda posição, após passar de forma fantástica pelo australiano Jack Miller (Ducati Lenovo Team).

Moralizado pelos recentes resultados, Miguel Oliveira tentou encurtar a distância que o separava então do líder Marc Márquez.

A diferença entre ambos chegou a ultrapassar ligeiramente a barreira dos dois segundos, mas depois a rapidez do português fez-se sentir e a diferença foi descendo volta após volta, para desespero de Alberto Puig, diretor desportivo da Repsol Honda, que via a vitória de Márquez ameaçada pelo português da Red Bull KTM Factory.

Marc Márquez conseguia sempre ser mais rápido do que Miguel Oliveira na primeira metade da volta, enquanto o português revelava-se demolidor na segunda metade da volta. Foi assim que o piloto da KTM conseguiu reduzir a diferença para pouco menos de um segundo quando faltavam apenas cinco voltas para o fim do GP da Alemanha.


Mas a partir daí o ex-campeão de MotoGP respondeu à altura do ataque do piloto português, aguentou a pressão, usou todas as suas forças e talento, e conseguiu voltar a ganhar uma margem de segurança que lhe permitiu regressar às vitórias em MotoGP, 581 dias após aquela que era a sua última vitória (GP de Valência em 2019), assegurando ainda a 11ª vitória consecutiva no Sachsenring e a 8ª consecutiva em MotoGP!

Para o português o segundo lugar fecha mais um fim de semana em alto nível. Miguel Oliveira, assumidamente em grande forma desde o segundo lugar no Grande Prémio de Itália, consegue o terceiro pódio consecutivo na categoria rainha, somando nos últimos três GP um total de 65 pontos.

Com este resultado o português reforça a sua candidatura ao título de MotoGP embora se mantenha a 57 pontos de diferença do ainda líder Fabio Quartararo (Monster Energy Yamaha), que este domingo terminou no terceiro lugar, salvando um fim de semana de enormes dificuldades para as motos da casa de Iwata, e que confessou não ter ritmo para acompanhar Miguel Oliveira e Marc Márquez.


Miguel Oliveira ocupa então a 7ª posição da classificação de MotoGP com 74 pontos a apenas um ponto de Maverick Viñales (Monster Energy Yamaha), que no Grande Prémio da Alemanha nem pontuou.

Declarações de Miguel Oliveira após o segundo lugar no Grande Prémio da Alemanha:

“Foi muito dificil. Houve um momento chave quando começou a chover e o Marc soube avaliar bem as condições de aderência. Depois conseguiu gerir com mais calma a corrida. Eu estava com duas Ducati à minha frente e o Aleix. Foi complicado para mim, foi uma batalha à distância, gostaria que tivesse sido mais uma batalha corpo a corpo. Como ele (Marc) próprio disse, aqui não teria nenhuma limitação física, ainda assim sinto que fiz o melhor que pude. Como disse ontem, a posição de partida não era a melhor, mas estou contente com as minhas decisões, a minha gestão. Logo no início tive de preparar as saídas de curva e usar a extremidade do pneu. Desgastei mais do que gostava os pneus. Com todas as adversidades, acho que fizemos uma boa corrida. Título? Julgo que é muito tentador olhar para o campeonato com estes pontos todos. Estas três corridas foram de facto excelentes, mas a minha mentalidade é aproveitar corrida a corrida e as contas vão fazer-se no final, com um calendário ainda muito incerto e temos de continuar focados e manter atentos ao que acontece no resto do campeonato”.

Com pouco tempo para descansar, mas definitivamente com a moral em alta, Miguel Oliveira avança com o paddock de MotoGP para a próxima ronda do ano, o Grande Prémio da Holanda no circuito de Assen TT, que se realiza já de 25 a 27 de junho.

Fonte: Andar de Moto

andardemoto.pt @ 22-6-2021 15:53:00


Mais